Wednesday, 20 August 2014

O Dragão

Há em mim um Dragão adormecido
Uma besta que descansa
Neste quarto enegrecido
Uma vaga que só avança
Para a rocha em tempo devido

E quando a mim a noite alcança
E o manto do silêncio aconchega
O coração bate a compasso, profundo.
Do fundo há um rumor que chega
Algo agita-se nesta natureza.

De súbito ouve-se a trovoada
Mil lobos uivam na madrugada
Ergue-se o mar com a nortada
E a terra sangra, angustiada
Mas o Dragão,
Com alma conquistada,
Não se mexe, não se assusta
Não diz nada.

1 comment:

  1. "Mas o Dragão,
    Com alma conquistada,
    Não se mexe, não se assusta
    Não diz nada."

    ReplyDelete