Tuesday, 5 May 2015

Om

A única coisa que se pode fazer perante uma ameaça, um ataque ou uma acção provocadora é nada. Devemo-nos manter em silêncio e atentos àquilo que nos provoca, assistir ao chiar das engrenagens emocionais e pensadoras que tenazmente processam a informação e automaticamente disparam o alerta vermelho, consequentemente enchendo de carvão a caldeira da locomotiva de ataque que logo vaporiza o ar com seu fumo negro bloqueando os sentidos, mas sem ordem de partida, sem um manifestar de intenção o carvão acaba por ser consumido e a locomotiva perde a sua força. Perante estas ocorrências é-nos permitido ver o fragmentar dos nossos instrumentos de processamento, dos nossos filtros, despindo-nos dos nossos fatos ilusórios, criando um espaço entre tudo isto e o nosso verdadeiro ser que serenamente regozija-se com a peça que se desenlaça.
E tudo isto acontece num relampejar, voltando tudo ao desnatural, mas não sem deixar uma doce fragrância para trás que alimenta o desapego e cultiva espaço.

7 comments:

  1. Fiquei a pensar que tudo que é ilusório passa... E achei muito bom pensar assim.
    Abraços, Jorge!

    ReplyDelete
  2. Obrigada por esse texto. Que eu me lembre dele todas as vezes que eu precisar ficar Om.
    Abraço

    ReplyDelete
    Replies
    1. Agradeço a leitura!!! Espero que lhe traga paz!! Abraço

      Delete
  3. Olha, lindo e você realmente coloca todos para pensar.
    Parabéns amigo, muito bom, abraços.

    ReplyDelete
  4. Olha, lindo e você realmente coloca todos para pensar.
    Parabéns amigo, muito bom, abraços.

    ReplyDelete
  5. Olá amigo boa noite ,lindo todo que escreveu colocou-me oara oensar. Abraços.

    ReplyDelete
  6. Olá amigo boa noite ,lindo todo que escreveu colocou-me oara oensar. Abraços.

    ReplyDelete